Quem falou que dinheiro precisa ser um monstro na sua vida?

Já percebeu como organização do nosso dinheiro é um dos maiores tabus da sociedade? Pense comigo: ao conversar com as suas amigas, vocês comentam quanto cada uma ganha, ou o número de boletos que paga por mês?

Problemas de dinheiro? Confira nosso guia e dê adeus a esses problemas.

Além disso, muitas pessoas consideram finanças um monstro de sete cabeças, que é melhor nem pensar muito a respeito para não ficar ainda mais assustado com a real situação financeira que se encontra. Essa postura só piora a situação, e não precisa ser assim!

Sempre tive vontade de falar sobre dinheiro por aqui, e acho que chegou a hora de dividir um pouco desta minha ânsia com vocês. Vou contar (sem tabus!) quais são as formas que eu uso para me organizar e manter meus pés no chão em relação ao dinheiro.

Afinal, quando bem organizadas e bem administradas, as finanças vão te ajudar a crescer e conquistar cada dia mais na vida. E então, vamos lá?

Encare a realidade: eu sei que é difícil, mas é preciso colocar a realidade no papel. Quanto mais você mascarar a verdadeira face das suas finanças, mais difícil vai ser de conseguir conquistar o que quiser no futuro. Então, sem segredos. Tenha coragem para encarar os fatos.

Enumere suas dívidas: caso você tenha dívidas, enumere-as em ordem crescente, ou seja, da menor para a maior. Dessa forma, você vai conseguir enxergar com clareza a sua situação financeira e já vai conseguir começar a preparar um planejamento de pagamentos.

Mas, atenção: o que define qual é a menor ou a maior dívida é a taxa de juros que ela possui. Um exemplo: vamos supor que você tenha feito duas dívidas, uma com juros de 15% ao mês e outra com juros de 5% ao mês. O que define a dívida menor, independentemente do valor que elas possuem, é a taxa de juros.

Defina a ordem de pagamento: a ordem de pagamento deve sempre respeitar a taxa de juros. Porque se você deixar dívidas com taxas altas em aberto, quanto mais tempo passar, mais elas vão aumentar. Em alguns meses, o valor pode se tornar astronômico.

Orçamento: agora que já sabe da sua realidade e já enumerou e escalou suas dívidas, chegou a hora de orçar o seu mês. Faça uma planilha e, em ordem de prioridade, coloque tudo o que é indispensável (como conta de água, luz, compras básicas no supermercado e convênio médico, por exemplo). O que não for indispensável, pense duas vezes sobre manter como gasto.

Mercado: os supermercados são uma verdadeira tentação. Se você não tomar cuidado, vai voltar para casa com o porta-malas cheio de compras toda vez que for fazer apenas o que seria uma comprinha semanal. Então, meu truque é sempre (mas sempre, mesmo) fazer uma lista de compras. Eu escrevo no papel por categorias: primeiro produtos de limpeza, depois bebidas, depois comidas perecíveis e assim por diante. Assim passo apenas nos corredores do mercado que eu realmente preciso passar.

Outra coisa que ajuda muito é pesquisar os preços dos mercados perto de você. Pode parecer besteira, mas comprar no mercado de melhor custo-benefício ajuda a economizar bastante!

Apague a luz: saiu de um ambiente? Apague a luz. Deixou a televisão ligada enquanto foi à cozinha preparar um lanche? Perca essa mania. Essas pequenas atitudes vão te ajudar a ver uma mudança drástica nas suas contas no final do mês!

Conhecimento é poder: eu sempre falo que conhecimento é poder, e o que é óbvio para você pode não ser para outras pessoas. Então, ter em mãos ferramentas que sempre te ajudem a aumentar seus conhecimentos sobre finanças é ideal para se manter na linha com o seu dinheiro, investimentos e gastos.

Eu gosto bastante do Finanças Práticas, um programa da Visa que dissemina educação financeira de qualidade para todo mundo que se interessa em crescer financeiramente. O legal dessa ferramenta é a facilidade de uso. Em poucos cliques, você encontra o que precisa – vocês sabem, o que não é prático não tem espaço no meu dia a dia!

Por lá você encontra orientações sobre como elaborar um orçamento, como definir gastos, ensina a investir da maneira correta, como definir metas para cada fase da vida, além de dar conselhos realmente efetivos para a fase da vida que você está e na qual quer chegar.

As várias formas da plataforma de passar conteúdo são bem legais, mas uma das coisas que mais gosto a respeito do Finanças Práticas é o chatbot no Facebook, que me permite tirar qualquer dúvida sobre finanças pessoais na hora. Ou seja, nada é feito no escuro ou de forma insegura. Tudo é conversado de forma simples e rápida!

Inclusive, se quiser saber mais sobre o programa, você pode acessar a página no Facebook ou o site oficial www.financaspraticas.com.

Essas são as minhas dicas para vocês. Agora é só colocar tudo em prática para matar de vez esse monstrinho verde do medo das finanças. Porque o dinheiro tem que trabalhar ao seu lado, não contra você!

Um beijo,
Flávia Ferrari