Boa semana para todo mundo!
Ontem, assisitindo ao Fantástico – em um lapso da minha maratona Discovery Kids 24×7 visto que as crianças estavam desmaiadas cedo…- vi o caso da família Meneghini no quadro mudança geral.Para quem não viu é um quadro que eles buscam colocar a família “nos eixos” sob vários aspectos.
Um deles é o lixo.Fizeram um boletim de reciclagem e acompanharam a melhora da tal família sob o ponto de vista do lixo. Em uma das animações foi explicado que já consumimos muito mais do que o planeta pode nos oferecer e que no caso dos EUA o ritmo de consumo deles requeriria 4(!) plantetas de fonte. UAU!
Toda vez que vou para lá me incomoda enormemente a falta de latões para separar o lixo reciclável do orgânico. É tanta embalagem, tanta coisa, tanto consumo… e vai tudo para o mesmo balaio de gatos.
Desta vez, porém vi que começa – e se Deus quiser avança – uma onde de maior consciência. Mesmo as embalagens começam a enviar mensagens para despertar o pessoal. As fotos foram tiradas de uma embalagem PET de água que eu consumi.(E, detalhe, não joguei na grama, tá?)
Quem sabe com o presidente-verde Barack Obama a coisa não anda? Change. We can believe in.
Por aqui, façamos a nossa parte.
Eu reciclo tudo o que posso aqui em casa. Meus filhos estudam em uma escola onde lhes é ensinado reciclar a partir dos 3 anos de idade.
O condomínio onde moro recicla.
Na cidade do meu pai, o lixo é reciclado e gera renda para várias famílias.
Não sou uma santa, mas procuro melhorar meus hábitos e plantar boas sementes.
Você recicla?
Novamente, façamos a nossa parte.
Como diz a seguinte historinha, que deve ser conhecida de muitos:

“Conta-se que certo escritor uma vez, estava caminhando numa praia deserta, quando avistou a distância, um homem recolhendo algo das areias e jogando no mar.
Curioso, aproximou-se para ver do que se tratava.
O homem avistado recolhia estrelas do mar, que as águas haviam arremessado na areia da praia, e as devolvia ao mar.
O escritor perplexo ao ver aquilo, disse ao homem: Mas o que você está fazendo? São muitas estrelas… e essa praia é enorme!
O homem sorrindo, abaixou-se, pegou mais uma estrela e mostrando-a para o escritor, disse: Pode ser… mas para essa aqui, eu fiz a diferença – e devolveu novamente a estrela ao mar.
O escritor passou a noite, pensando no que o homem na praia, havia dito.
No dia seguinte, o escritor acordou bem cedo, e foi sorrindo pegar estrelas…”.
Um beijo